Depoimentos

Neila Maria Bordin

Quando eu nasci meus pais moravam em uma garagem ampliada no terreno aos fundos da casa da minha avó… O município era Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre… Um dos municípios com maior taxa de criminalidade do sul do país… Meu pai era caminhoneiro e mecânico de automóveis e minha mãe era do lar. Até os meus 7 anos completos nunca frequentei escola alguma. Mas desde muito cedo, interessei-me pelas letras e pelos números, de modo que alfabetizei-me em casa, por iniciativa própria, antes mesmo de entrar para a 1ª série. Quando ingressei na escola já sabia ler, escrever e calcular… As atividades em aula que as crianças faziam eram fáceis demais para mim - O ano era 1986… Quando passei para a 2ª série, logo no início do ano letivo, as escolas estaduais entraram em greve. Os alunos haviam recebido as cartilhas com todos os conteúdos que seriam estudados ao longo do ano. Durante a greve, por minha própria iniciativa, achei de ler todas as cartilhas e quando a greve acabou todo o conteúdo a ser trabalhado em aula já era de meu total conhecimento. A professora Léa, minha professora na 2ª série, percebeu que não fazia sentido que eu participasse das suas aulas, pois eu já sabia toda a matéria, então me encaminhou a uma equipe da Secretaria da Educação para que eu fosse submetida a testes, com vistas a me avançar para a próxima série. Lembro-me que passei uma semana na secretaria da escola fazendo provas e testes, e então fui progredida para a turma da 3ª série. Mesmo na minha nova turma, tive destaque sem igual - chegando ao final do ano recebi a Medalha de Melhor Aluna… A professora chamava-se Inês. Sempre estudei em escola estadual ao longo de todo o meu 1° grau. Estudei ainda em escola estadual ao longo de todo o 2°. E foi na Universidade Federal que fiz minha faculdade e minha pós-graduação. Ao completar minha graduação prestei 3 concursos públicos para atuar como professora, na época eu era uma jovem recém-formada. Passei nos três concursos aos quais me submeti e tive que decidir por um deles, por meio do qual lecionei como professora do Ensino Fundamental por 7 anos e fui Diretora por outros 7. Ao longo da minha infância não tive situação financeira privilegiada… Mas sempre tive um bom teto sobre a cabeça e uma boa alimentação… Meu pai era trabalhador e o básico nunca faltou… Não tive a menor dificuldade ao longo de toda a minha trajetória com os estudos, porém é fato que conforme fui crescendo e fui percebendo que o meu diferencial me afastava das outras crianças, e mais tarde dos demais adolescentes, fui forçando uma conduta que não me era natural, na tentativa de me “enturmar” e não viver tão isolada - o que de fato, nunca aconteceu. A tentativa de me sentir mais próxima às pessoas me afastou do meu brilhantismo juvenil, de modo que quando tornei-me professora cheguei a me perguntar: onde ficara aquela criança brilhante que todos achavam que seria grande coisa na vida ? - os adultos que frequentavam a casa dos meus pais diziam que eu seria presidente do Brasil… ou do Mundo ! As pessoas perguntavam: “Como esta criança sabe de tudo isso ?” A minha mãe respondia: “Ela nasceu sabendo…” Eu fui uma criança assustadora ! Eu tinha visões !!! Eu via coisas !!! Que as outras pessoas não viam… Meus pais levaram-me do padre ao curandeiro, para tentar “resolver” essa situação inexplicável. “Ela assistiu na televisão ?” “De onde ela tirou isso ?” “Deve ter sonhado…” “Deve ter visto em algum filme…” Conforme fui crescendo, fui me bloqueando… Fui bloqueando a minha expressão mais inata, a fim de ser possível conviver minimamente com as outras pessoas. As minhas aptidões e potencialidades só voltaram a emergir algumas décadas depois, quando conheci Rodrigo - uma outra criança que havia sido como eu . “Eu sou uma alma prodígio” - dizia ele, em sua inocência em aceitar quem realmente era e anunciar isso aos outros. Após muitos desbloqueios, por meio da Recalibração Interdimensional, finalmente descobri quem eu realmente sou e por isso, toda a minha infância e adolescência hoje me fazem todo o sentido ! Mas essa é uma outra história… Que vai me exigir um livro inteiro… Ou dois… 06/02/2022.

Neila Maria Bordin, São Paulo - SP - Brasil



Outros Depoimentos

Ana Paula Alves de Lima

A expressão Família Estelar ressoava em meu íntimo. Então, numa busca pelo Google, encontrei Rodrigo Bordin. Iniciei meu processo junto à Nova Energia em junho de 2017 participando da Ativação do Código Cibernético em GRU - SP. Naquele mesmo dia, meu coração reconheceu com toda força que, enfim, havia encontrado tudo o que eu tanto buscava! A emoção foi imensa, chorava e ria ao mesmo tempo. Estar na presença do Rodrigo e da Neila foi algo surpreendente e arrebatador. Meu coração se derreteu de imediato e cada palavra que eles diziam se encaixava com perfeição em meu coração: “É isso! É isso!”... ver mais [+]

Ana Paula Alves de Lima, Curitiba - Pr - Brasil.
Crislaine Mara de Souza

Desde a adolescência eu questionava a razão da minha existência, a pergunta que me rondava era “pra que eu acordo todas as manhãs?” E nada que eu via que a humanidade fazia, ressoava em meu coração como verdade ou justificava a minha existência, como: estudar e trabalhar para ser alguém, ganhar dinheiro, casar, ter filhos... Mesmo assim, segui os padrões e conquistei tudo isso, me casei, tive um lindo casal de filhos, consegui o tão sonhado reconhecimento profissional e financeiro, tive uma linda casa com piscina em um dos melhores condomínios da cidade. Foi quando descobri que nada disso preenchia o meu coração, que estava mais vazio do que nunca, o que resultou em uma depressão profunda. Fui parar no fundo do poço e tive que fazer uma escolha, continuar naquela vida sem propósito ou seguir o meu coração... ver mais [+]

Crislaine Mara de Souza, Curitiba - Pr - Brasil